quarta-feira, 16 de novembro de 2016

RENASCER DA MATUR?

Segundo a edição do Jornal da Madeira de hoje, 16 de Novembro de 2016, que segue em anexo. 

Um grupo empresarial madeirense comprou grande parte dos terrenos da antiga Matur, onde funcionava a piscina, entretanto abandonada, e ainda um amplo espaço agora ocupado por mato.
O objetivo, conforme apurou o JM é o de ali construir habitação mas também um hotel, virado para a falésia. No essencial, o projeto que a empresa "Habitsolution", do ramo imobiliário, apresentou à Câmara Municpal de Machico para aprovação, pretende recuperar um pouco do brilho e a fama que teve, durante anos, aquele que teve, durante anos, aquele complexo turístico em Água de Pena.
Saiba mais sobre esta notícia na edição de hoje do JM.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

O TEMPO E O VENTO

O tempo e o vento


O dia tinha realmente 24 horas! Bastava ver que o tempo era medido, no acordar com o barulho na cozinha, pelo cheiro a café e a torradas que subia até ao andar superior. Sabíamos que era hora de levantar quando o Sol inundava as verdes venezianas, e os seus raios cintilantes procuravam uma nesga na madeira para entrar nos aposentos.  Depois passava a manhã a pesquisar os montes, pequenas elevações do terreno onde pinheiros bravos abraçavam-se ao sabor do vento. Por vezes parava, para escutar o som do vento passando entre a folhagem de agulhas afiadas. Procurava pinhas, colhendo no chão as mais perfeitas ou as que achava serem as mais bonitas. Era certo que as minhas preferidas iriam acompanhar-me até à cidade, até que um dia possivelmente de chuva no Outono, acabariam por ser pintadas de prateado para decorarem a lapinha quando chegasse o Natal. As tardes eram cadenciadas como as longas ondas que balançavam no oceano, entre o triângulo que ia da Ponta de Santa Catarina, às Desertas e à Ponta de São Lourenço. Podia acompanhar os pequenos veleiros, os “carreireiros” que levavam mercadorias de e para o Porto Santo, desde que apontavam lá para os lados do farol até desaparecerem por completo rumo ao Garajau e à cidade do Funchal. E havia tempo para seguir com o olhar, o pequeno risco de espuma onde a proa rasgava o azul do mar. Depois à medida que a noite avançava, ficávamos inertes, sentados no comprido banco de cimento que formava a baia, no terreiro circundante à casa, seguindo o imenso luzeiro de barcos de pesca na sua faina nocturna ou um paquete, que cruzando o horizonte seguia o seu destino. A  a imagem, essa ficava no nosso pensamento e com ela os primeiros sinais de sonolência ou um bocejar mais dramático e sonoro que nos conduziria ao vale dos lençóis. E tudo em 24 horas!
Por curiosidade, uma das pinhas acompanhou-me durante décadas a fio! Trouxe-a um dia no fundo de uma mala, como se fosse uma pequena jóia preciosa. Estava pintada de cor prata. Na parte inferior, a servir de suporte tinha um pequeno quadrado de madeira, de modo a mantê-la sempre direita no presépio. Por baixo, podia ver escrito a caneta com uma caligrafia infantil, o seguinte: - Água de Pena – 1966.   
Como um búzio que se encosta ao ouvido e se tem a percepção de ouvir o mar, naquela simples pinha, eu escutava os pinheiros assobiando ao sabor do vento, o cheiro a resina e a brisa quente bailando sob o meu rosto. E tudo em apenas 24 horas…


CAM

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

AS CORES DAS HIGHLANDS

AS CORES DAS HIGHLANDS


O programa era da National Geographic. Imagens das Terras Altas da Escócia, nas diversas épocas do ano. Os campos dourados, as montanhas banhadas pelo Sol, a casa rural na charneca onde um agricultor colhia cereais. Confesso que fiquei fascinado pelos tons quentes do fim de estação estival. Veio então à minha memória que aqueles eram precisamente os mesmos dourados dos teus cabelos, ondinhas e ondinhas sem fim, a tua face salpicada de milhentas sardas sardas, pintinhas que eu dizia serem feitas de beijinhos. Recordei então que me falavas tinham vindo em veleiros ao sabor das correntes, em busca de outras terras, quando a nave encalhou numa qualquer praia de areias negras, e por cá ficaram alguns séculos, vivendo com a saudade das Higlands, aroma de whiskies amadurecidos e kilts de cores quentes. Fiquei a imaginar que os dourados dos teus cabelos eram prolongamentos dos mesmos campos que eu via, que a charneca onde o gado pastava e os altos rochedos  banhados pelo astro rei e lá estavam as ondinhas e ondinhas dos campos de rito batidos pelo vento espraiando-se no infinito. E eu recordava-me de ti e do teu sorriso viajando pelos campos da Escócia, embalado em histórias de monstros no Loch Ness.  
IM MEMORIAM MATER  

quinta-feira, 2 de junho de 2016

PARQUE INFANTIL NO PORTO DA CRUZ



Câmara de Machico apresenta parque infantil no Porto da Cruz




 
A Câmara Municipal de Machico concluiu os trabalhos de construção do Parque Infantil do Porto da Cruz, localizado no espaço pertencente à paróquia daquela localidade, revela uma nota assinada pelo presidente da autarquia.
A apresentação oficial deste espaço realizou-se ontem, por ocasião das Comemorações do Dia Mundial da Criança, contanto com a presença de várias crianças da freguesia, que animaram esta iniciativa e, no final, usufruíram dos novos equipamentos, acrescenta o mesmo comunicado.
"A reativação deste parque constitui uma obra necessária, com a colocação de novos equipamentos, num investimento que ronda os 24.000 euros e que visa, sobretudo, beneficiar a população da freguesia do Porto da Cruz, em especial as crianças, considerando-se a importância de manter um espaço de lazer deste género."
Fonte . Diário de Noticias de 02/06/2016

terça-feira, 31 de maio de 2016

EXPOSIÇÃO NO SOLAR DO RIBEIRINHO



Solar do Ribeirinho recebe exposição de 'Bonecas do Mundo'


 A Câmara Municipal de Machico, promove, amanhã, pelas 16 horas, a abertura da exposição 'Bonecas do Mundo' no Núcleo Museológico de Machico – Solar do Ribeirinho.
Esta exposição reúne uma centena de bonecas dos mais variados materiais, como porcelana, madeira, EVA, pano, plástico, palha de milho, massa. Estas pertencem a oito coleccionadores particulares que gentilmente cederam as suas bonecas para esta exposição.
O principal objectivo desta mostra é dar a conhecer um pouco do universo infantil como também do mundo do coleccionismo. Grande parte das bonecas exibidas ostenta trajes típicos de vários países da Europa, Ásia, América e África do Sul. A exposição estará patente até ao dia 22 de Julho de 2016.
Fonte: Diário de Noticias de 31/05/2016

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Saúde pública está em causa na zona da Matur

PSD-Machico diz que a saúde pública está em causa na zona da Matur

Actualizado ontem, às 11:27

Os vereadores do PSD na Câmara Municipal de Machico (CMM) apresentaram, na reunião de câmara do passado dia 4 de Fevereiro, um voto de recomendação relacionado com o perigo para a saúde pública que se vive na zona da Matur, nomeadamente com as águas estagnadas na piscina abandonada, que consideram ser um viveiro para a eclosão de insectos, nomeadamente do mosquito 'Aedes Aegypti', transmissor da Dengue e da Zika. 
Os vereadores municipais lembram ainda que aquela piscina constitui um potencial perigo de afogamento em caso de de queda de alguma pessoa, principalmente se se tratar de criança ou idoso, adiantando que a infra-estrutura abandonada é motivo de preocupações e alertas por parte dos moradores na zona.
Os vereadores do PSD recomendam, por isso, à CMM, que "diligencie no sentido de rapidamente ser posto cobro à situação acima referido, e outras do género, de modo a que sejam garantidas as condições de segurança e de saúde pública".
Na mesma reunião,  os vereadores social-democratas apresentaram uma outra proposta referente à eficiência energética nas infra-estruturas e equipamentos municipais.
Os vereadores lembram que, no anterior mandato autárquico, a empresa intermunicipal IPM, constituída pelos municípios da RAM, cuja presidência do concelho executivo era na altura exercida pelo Município de Machico, a EEM e a AREAM fizeram uma parceria no sentido de desenvolverem medidas tendo em vista a eficiência energética e ambiental na região. Para o efeito previa-se o levantamento e a elaboração de um Plano Director para a Iluminação Pública Regional, tendo este processo se traduzido depois na adesão ao Pacto de Autarcas.
Em consequência dessa parceria, acrescentam, recentemente a Empresa de Electricidade da Madeira, deu início à colocação de luminárias LED, em substituição das tradicionais, em alguns arruamentos do concelho, de acordo com um plano pré-estabelecido. "Obviamente com esta iniciativa será assegurada uma maior eficiência energética e ambiental, com reflexos claros na poupança em termos da facturação energética, o que é naturalmente um motivo de congratulação", lê-se na proposta.
O vereadores do PSD recomendam, por isso, ao executivo municipal "que tome igualmente medidas no sentido de garantir uma maior eficiência energética e ambiental nos equipamentos e infra-estruturas municipais, com recurso a implementação de energias renováveis, de modo a que se possa alcançar o mais rapidamente possível os objectivos desejados, de redução de custos e melhorias ambientais no concelho, e consequente melhoria da qualidade de vida dos nossos munícipes e daqueles que nos visitam".
Estas duas propostas foram aprovadas.
Fonte:Diário de Noticias de 09/02/2016

 

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Machico 1870

Machico em 1870. Veja-se as obras para a abertura da estrada que irá dar à Vila de Machico.