quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

AUGUSTA - COZINHEIRA MÁGICA

Postal do pintor Max Römer
Agostinha

Era mágica esta mulher! Tinha as mãos de ouro como cozinheira-mor da casa. Teria vindo muito menina, da Ponta do Sol sua terra natal, para trabalhar como aprendiz de cozinheira e posteriormente com total liberdade para as fainas culinárias. Dizia-se que uma boa cozinheira, podia prender um homem!... Confesso que não sei… O que sei é desde muito cedo, sempre fui bom garfo e a Agostinha prendeu-me toda a vida pelo bom petisco e não só, por um cálice de vinho Madeira que nos fazia sentir nas nuvens!
Eram às sextas-feiras que o Senhor Manuel trazia do velho terno na Rua do Seminário, as carnes e legumes em cestas de vime ou de cana vieira entrelaçada, as compras do mercado. Num dos braços, vinha sempre um garrafão de vinho da casa, diziam uns que para temperar os bifes… Em dia de São Bife, Agostinha convidava-me a ir à velha dispensa por baixo do vão da escadaria, às escondidas bebiamos um copito de vinho antes do tempero dos bifes. Dos altos céus, Baco mostrava aquele ar prazenteiro, voltas de contentamento, até ao dia em que fomos apanhados em “flagrante delitro”. Caíu o Céu e a Trindade!
_ Como é possível dar vinho a uma criança? Resposta pronta da Agostinha:
- Menina isto não faz mal a ninguém! É vinho para temperar os bifes…

TERRA DE MENINOS

Quando era criança, os adultos tratavam-me por menino. As outras crianças eram “os pequenos ou pequenas” conforme o seu estrato social. Quando viajava pelo campo, independentemente da idade ou do seu estado civil que possuísse, eram os forasteiros obsequiados com o título de menino ou menina. As empregadas que residiam na minha casa, trataram-me toda a vida como o menino. Era uma forma carinhosa e acima de tudo o respeito de tratar as pessoas, só vista no campo da Madeira. Confesso que me fazia confusão! De igual modo, quando se cruzavam com outras pessoas, davam sempre os Bons Dias ou Boas Tardes! À alguns anos, Zélia Gattai, esposa de Jorge Amado, escreveu um livro com o titulo de “Chão de Meninos” (povoação perto de Mafra) por achar o nome enternecedor. Por sua vez os Galegos tratam muitas vezes os seus cidadãos por “nenos ou nenas ” (meninos ou meninas) com a mesma formalidade que nunca os ouço designar “os velhos”. Essa designação é apelidada seja na Galiza ou na Espanha castelhana por “mayores”! Confesso que nunca liguei a estes títulos honoríficos, embora os compreenda no passado um pouco feudal da Madeira, mas apeteceu-me tocar neste assunto, até porque nestas coisas dos blogues, temos a grande vantagem de podermos exprimir livremente as nossas ideias.
Como gesto final, terei de homenagear aquela maravilhosa Augusta.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

MATUR - Publicidade


MATUR nos tempos aureos!
A melhor razão para a vossa escolha! Temos um serviço individual à vossa disposição.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

POEMAS DE AMOR A CONCURSO

A Junta de Freguesia de Machico lança um concurso literário subordinado ao tema "POEMAS DE AMOR" para comemorar o Dia de S. Vanlentim - 14 de Fevereiro.
Assim, os interessados poderão enviar os seus poemas (no máximo 1 página A4 até 8 de Fevereiro pº.fº., por correio electrónico (presidente@jf-machico.pt ou para a morada na Travª. do Mercado nº. 13 - 9200-097 Machico. Uma boa oportunidade para mostrar os seus dotes literários!

sábado, 17 de janeiro de 2009

PONTA DE SÃO LOURENÇO



Ilheu da Branca, situado no extremo Norte da Ponta de S. Lourenço

MACHICO EM 1880

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Um Hotel dois Concelhos

Foto tirada de Santa Catarina
O Holiday Inn Madeira - Vista de Este para Oeste (dos concelho de Machico para Santa Cruz)

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

HOLIDAY INN MADEIRA - BY NIGHT

MATUR - FLATS E MORADIAS EM BANDA




CLUBE INTERNACIONAL DE BRIDGE

MATUR - PISCINA OLIMPICA


MATUR - DE SONHO A DESILUSÃO





Fotos e postais do Complexo da MATUR em Água de Pena, Grão Pará e Holiday Inn Madeira, posterior Hotel Atlantis ***** Stars.