quarta-feira, 7 de outubro de 2009

JUNTO AO MAR

Entre o cheiro da maresia, a manhã desponta lentamente. Cinzento, mal humorado, o Sol espreguiça-se pelo calhau de Água de Pena. E eu continuo a ver piratas nas Desertas, tesouros nas velhas rochas de S. Lourenço. Durante décadas tantas lágrimas rolaram ao passar este local, tantos sonhos ou desilusões, tanto mar para navegar, tanto mar...

Sem comentários: