terça-feira, 26 de janeiro de 2010

MACHICO E AS VERBAS PARA A CULTURA


Machico aumenta Desporto mas não dá mais à Cultura
Há 5 anos que as associações não vêem aumentadas as transferências da autarquia
Data: 26-01-2010 - Diário de Noticias
Há cinco anos que a Câmara Municipal de Machico não aumenta um 'cêntimo' nas verbas que transfere para as associações culturais do concelho. Um 'congelamento' que afecta 13 instituições que, nos últimos anos, tiveram de gerir a mesma verba, independentemente do aumento ou da diminuição do número de actividades planificadas. Esta foi uma decisão tomada no passado dia 15 de Janeiro, na última reunião de vereadores da autarquia machiquense. Na sequência dessa decisão, esta autarquia assina hoje, às 17 horas, um protocolo financeiro com estas instituições. Tal como aconteceu no ano passado, uma vez mais os três vereadores socialistas desta autarquia abstiveram-se na aprovação deste apoio.Dizem os socialistas - em termos comparativos nos últimos cinco anos - que enquanto o Desporto teve um aumento de cerca 28%, "o que corresponde um crescimento na ordem dos 60 mil euros, não houve vontade de dar nem um cêntimo a mais às instituições culturais nestes mesmos cinco anos, mantendo-se, teimosamente, o valor anual que as instituições culturais recebem", refere o líder dos socialistas, Ricardo Franco.Para os socialistas, esta situação constitui uma profunda discriminação, entre o tratamento que é dado aos clubes desportivos e a forma como "não são acarinhadas as agremiações culturais do concelho por este executivo camarário". Os mesmos vereadores lembram que a actualização feita aos clubes de futebol é em si superior ao total da verba cedida às instituições culturais. Mais. Na declaração de voto dos socialistas, Ricardo Franco lembra que o 'congelamento' de verbas à Cultura não se justifica num ano em que o Desporto não registou um aumento. Na sequência desta argumentação, os socialistas recomendaram um aumento percentual de 20% para cada instituição cultural depois de no ano passado terem sugerido um aumento de 10%. A proposta socialista foi rejeitada pela maioria PSD. Emanuel Gomes fala em crise para justificar atribuiçõesEmanuel Gomes justifica mais uma vez o não aumento das transferências financeiras às entidades culturais de Machico, com as dificuldades de tesouraria da Câmara. "Em termos orçamentais, as coisas não vão bem. Está tudo muito complicado e apertado. Não há perspectivas de crescimento das receitas da Câmara de Machico por via das transferências do Estado. Há uma grande diminuição de receitas municipais que advinham da construção de obras e as licenças de obras quase que desapareceram". E exemplifica. "Ainda hoje só tivemos um processo de obras, antes tínhamos dezenas. Há um conjunto de receitas que vão diminuir. A tendência vai ser essa". O autarca salienta também que quando, durante a campanha, prometeu acentuar os apoios aos sectores Social e Cultura, isso não significava a organização de novas actividades e eventos, mas sim a promoção de actividades de melhor qualidade.43 mil e 250 euros para 13 instituições culturaisSão três as que mais verbas recebem da Câmara de Machico:Banda Municipal de Machico, Prestige Dance e o Grupo Cultural 'Flores de Maio', com 7.500 euros cada. A seguir, aparecem cinco associações que receberão 2.750 euros cada: Grupo Cultural e Recreativo Casa do Povo do Santo da Serra, Grupo Folclórico da Casa do Povo do Porto da Cruz, Grupo de Danças e Cantares da Casa do Povo de Água de Pena, Grupo Folclórico da Casa do Povo do Caniçal e ainda o Grupo Cultural e Recreativo da Casa do Povo de Machico. Já o Grupo Coral das Casas do Povo de Machico receberá 2.250 euros. Enquanto a Associação 'Mão Amiga' receberá 1.500 euros, o Corpo Nacional de Escutas receberá 1.250 euros. Por fim, o Grupo de Teatro de Machico e o Centro Cívico Cultural e Social Ribeira Seca receberão mil euros cada.
Marco Freitas

Sem comentários: