segunda-feira, 26 de setembro de 2011

NOVO JARDIM E VIVEIRO NA MATUR

Machico tem, agora, mais uma área ajardinada e de lazer no concelho. O novo espaço conta ainda com uma área dedicada a viveiros de plantas de baixa altitude e fica situado na zona da Matur, na freguesia de Água de Pena.

Este novo espaço, que representa um investimento de 675 mil euros, com verbas do Governo Regional e da União Europeia, através do PRODERAM, vem reforçar as áreas ajardinadas do concelho e, ao mesmo tempo, alargar também as zonas de lazer para usufruto da população.

Obra da Secretaria do Ambiente
 
Além da população local, é expectável que muitos madeirenses e turistas possam também vir a procurar este espaço. Dado que foi construído neste jardim um miradouro, a partir do qual é possível ter uma vista interessante sobre o Aeroporto Internacional da Madeira o que, com toda a certeza, irá atrair as pessoas de uma forma em geral, mas, sobretudo, aquelas que apreciam os aviões e toda a actividade aeronáutica, como é o caso, por exemplo, dos “spotters”, que poderão encontrar, ali, uma perspectiva diferente sobre a pista e registar essas manobras em fotografias e vídeos.
 
14.600 metros quadrados de área utilizada
 
De referir que esta intervenção foi levada a cabo pela Secretaria Regional do Ambiente e dos Recursos Naturais, através da Direcção Regional de Florestas e abrangeu uma área na ordem dos 14.600 metros quadrados, sendo sete mil metros quadrados de viveiros e cerca de 7.600 metros quadrados de jardins.

Para o secretário regional do Ambiente e dos Recursos Naturais, esta intervenção é extremamente positiva a vários níveis. Desde logo pelo facto de, com esta intervenção, proceder-se à recuperação urbanística daquela área, que antes estava abandonada e que passa a estar melhor organizada. Depois, acrescentou ainda Manuel António Correia, com este jardim é «criada uma zona de lazer aberta a toda a população, e não apenas à de Machico, tendo também como um dos grandes atractivos a proximidade ao Aeroporto e ao mar».

Mas, referiu ainda o secretário regional do Ambiente e dos Recursos Naturais, «este será também um equipamento muito importante ao nível do reforço da estrutura verde da Região, nomeadamente, o ajardinamento de espaços públicos e privados com plantas de baixa altitude que ali serão produzidas e depois cedidas a “preços sociais”, quer às Câmaras, quer às juntas de freguesia, quer à população em geral».

Manuel António considera iniciativa muito positiva
 
De uma forma geral, Manuel António Correia considera que esta «é uma iniciativa muito positiva e que vai melhorar, não só o património natural da Região, mas também a qualidade de vida da população».

É também de realçar que esta infra-estrutura, além de permitir criar um espaço para usufruto das populações e outro para a reprodução de plantas diversas, vem também recuperar um espaço degradado e valorizar, ao mesmo tempo, o património natural da Região.

Trata-se de uma infra-estrutura fundamental para o reforço das áreas verdes e ajardinadas da Região, pois as plantas de baixa altitude nele reproduzidas serão disseminadas por espaços públicos de toda a Região que será, assim, paisagisticamente melhorada.

O espaço vem colmatar uma lacuna existente, até ao momento, em que os viveiros regionais localizados em zonas de altitude possuíam uma produção orientada para as espécies próprias dessas zonas.

Novos viveiros permitirão maior produção

Com os novos viveiros, dada a sua localização e condições climáticas específicas, será possível a produção de plantas ornamentais de cotas mais baixas, bem como de algumas espécies da flora madeirense como por exemplo o Barbusano e a Oliveira Brava.

A nova infra-estrutura, no que aos viveiros diz respeito, é constituída por uma zona de produção efectiva e por uma área de vasário (plantas em vaso de maior porte) sendo para o efeito necessário proceder à construção de uma série de infra-estruturas imprescindíveis à adequado e efectiva produção em viveiro de plantas.
 
Miguel Angelo - Jornal da Madeira de 26 de Setembro de 2011

sábado, 24 de setembro de 2011

XXI MOSTRA DA SIDRA - SANTO DA SERRA



Com o propósito de relançar a divulgação duma tradição secular que constitui o fabrico da Sidra, na freguesia do Santo da Serra, realiza-se uma fez mais a mostra da Sidra, nos dias 24 e 25 de Setembro, esta de carácter popular em homenagem a esta bebida. Esta festa conta com um cortejo, que inclui a pisa do pêro, bem como muita animação e exposições alusivas ao tema.




Programa

Sábado, 24 de Setembro de 2011

18H00 - Visita das Entidades Oficiais aos Pavilhões de Exposição com a presença do Sr. Director Regional da Agricultura

Início do Pisar dos Pêros/Maçãs

18H30 - Grupo Cultural e Recreativo da Casa do Povo de Santo António da Serra

19H00 - Missa na Igreja Paroquial do Santo da Serra

19H45 - Grupo de Romagem da Pereira

20H30 - Conjunto Musical Cró Banda

23H00 - Cristina Barbosa e sua Banda

24H00 - Discoteca ao Vivo

02H00 - Encerramento

Domingo, 25 de Setembro de 2011

11H00 - Missa na Igreja Paroquial do Santo da Serra

12H00 - Música Ambiente

14H00 - Grupo Cultural e Recreativo da Casa do Povo de Santo António da Serra

15H00 - Intervenção de Sua Excelência o Presidente do Governo Regional da Madeira

15H30 - Artista convidado José Alberto Reis

16H30 - Grupo de Danças da Casa do Povo de Santa Cruz “Latin Street Dancer’s”

17H15 - Grupo de Folclore da Casa do Povo de Santa Cruz

18H15 - Ventos do Norte

19H30 - Grupo de Romagem da Pereira

20H00 - Tuna Estudantina

21H00 - Paulo Costa e suas Bailarinas

24H00 - Encerramento

Organização:

Casa do Povo do Santo da Serra



Sidra – Um produto anterior à era de Cristo

Existem diversas opiniões e teorias sobre o aparecimento da Sidra, sendo que a maioria afirma ter origens anteriores ao tempo de Cristo. A civilização Egípcia (3.000 AC) e, mais tarde, os Gregos (600 AC) são apontados como grandes apreciadores deste tipo de produto.

Outros, julgam que a sua origem está numa bebida que os Celtas (800 AC) extraíam das maçãs. Estes terão sido os responsáveis pela expansão do produto por toda a Europa.

A Sidra foi sempre um produto de grande tradição na Europa, sobretudo na França – principal produtor actual – no Reino Unido, Bélgica e Alemanha.

Quando os Europeus conquistaram a América levaram consigo as técnicas de cultivo das maçãs e elaboração da Sidra. No século XVIII, nos Estados Unidos, os alunos da ‘Harvard Business School’ consumiam-na diariamente já que fazia parte da sua dieta. Ao contrário do Whisky e outras bebidas alcoólicas, a Sidra tinha uma boa imagem e era frequentemente consumida em celebrações de todo o tipo. Devido à aceitação que tinha, durante o período da ‘Lei Seca’, foram efectuadas diversas manifestações para que fosse excluída da lista de bebidas proibidas.

Os três primeiros presidentes dos Estados Unidos, George Washington, John Adams e Thomas Jefferson, foram consumidores acérrimos de Sidra e numerosos presidentes ofereciam-na nas suas recepções. William Henry Harrison (1773-1841), por exemplo, chegou a utilizar um barril de Sidra como logótipo da sua campanha.

A Sidra em Portugal

Este produto, tal como noutros locais da Europa, foi introduzido pelos Celtas e fazia parte da chamada Dieta Atlântica. A Sidra era tradicionalmente do norte mas praticamente desapareceu. Restam apenas alguns registos de pequenas produções caseiras e artesanais, com especial destaque para a Região Autónoma da Madeira onde ainda hoje é costume beber-se alguma Sidra.
Fonte:C.M. Machico

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Machico em festa

Machico em festa este mês e no próximo


O programa das festas do concelho de Machico arranca esta sexta-feira, dia 23, no Fórum Machico, com a abertura da exposição alusiva às “Jornadas Europeias do Património” (que se prolongam até 21 de Outubro), e a 28 de Setembro, com a instalação de Hugo Olim, no Forte de Nossa Senhora do Amparo.

Machico vai estar em festa nos meses de Setembro e Outubro, com a Câmara Municipal a aliar a celebração do Dia do Concelho (a 9 de Outubro) ao programa de iniciativas previsto para o Município da Cultura 2011.


Dessa forma, os diversos eventos socioculturais e desportivos terão o seu início esta sexta-feira, dia 23, no Fórum Machico, com a abertura da exposição alusiva às “Jornadas Europeias do Património” (que se prolongam até 21 de Outubro), e a 28 de Setembro, com a instalação de Hugo Olim, no Forte de Nossa Senhora do Amparo.


Na quinta-feira, dia 29, o Centro Cívico do Porto da Cruz acolherá o lançamento do livro “Jangalinha - Uma Quinta no Porto da Cruz”, de Manuel Cruz Pestana de Gouveia. Nesse mesmo dia, e no que toca à programação desportiva, arranca o Torneio de Veteranos – Futebol, no Campo de Futebol Tristão Vaz Teixeira, que vai decorrer até ao dia 4 de Outubro.


Já no mês de Outubro, a autarquia machiquense, em colaboração com a professora Ângela Franco, irá promover de 3 a 8 um “workshop” de aguarela intitulado “Capturar o Essencial da Paisagem através da Aguarela”.


Uma formação que será orientada pelo artista Eugen Chisnicean e que decorrerá no Atelier de Artes Plásticas.


O Dia do Concelho será assinalado no dia 8, um sábado, com o hastear da bandeira marcado para as 9h, seguido da recepção às autoridades pela Banda Municipal de Machico, a actuação do Grupo Coral das Casas do Povo do concelho de Machico, e finalizando com a sessão solene, pelas 10h30.


A partir do dia 10 de Outubro, o Solar do Ribeirinho acolherá a “Exposição de Aguarela - Machico 2011”, e para o dia 11 está agendado o lançamento da colectânea “Camões Pequeno”, na Junta de Freguesia de Machico.


A música tem especial destaque nas festas do concelho de Machico, com o concerto acústico de Miguel Ângelo & Miguel Gameiro, intitulado “Canções ao Desafio”, que acontece no dia 15, um sábado, no Complexo Desportivo de Água de Pena. Depois desse espectáculo, e conforme o JM já tinha avançado, a dupla Bryan Wilson e Sebastian Crayn irá actuar pela primeira vez neste concelho, numa discoteca ao vivo.


No domingo, o Fórum Machico será o palco de um concerto com a Orquestra de Sopros do GCEA e a Banda Militar da Madeira.


“Quotidiano de Machico em Finais do Século XVIII (a partir das Posturas Municipais)” é o título da iniciativa Conferências do Museu, que terá lugar no Núcleo Museológico do Solar do Ribeirinho, a 20 de Outubro. Filipe dos Santos é o orador convidado.


“Expedições Científicas Estrangeiras na Madeira - Século XIX - Início do Século XX” é o nome de outra conferência, desta mesma iniciativa, que se realiza no dia 27, no mesmo local, com o orador Nélio Pão.


A 22 de Outubro há teatro no Fórum Machico com o espectáculo “Dramas e Papaias”, espaço que recebe depois a 28, 29 e 30 “Eva Perón, O Espectáculo”.


Esta obra terá a sua estreia no dia 28, às 21h, antecedida de espectáculos para as escolas (às 11h e às 15h). No dia 29, “Eva Perón, O Espectáculo” será apresentado às 21h, e no dia 30, às 17h.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

PEÇA DE TEATRO NO FORUM MACHICO

Estará em cena nos próximos dias 16, 17 (às 21h30) e 18 (às 18h30) de Setembro, no Auditório do Fórum Machico, a peça de teatro “Até que o casamento nos separe”, uma adaptação do Grupo Teatral de S. Gonçalo.  
A peça, da autoria do brasileiro Eduardo Martini, tem como personagens principais um casal interpretado pelos actores Carolina Abreu (Maria Eduarda) e Diogo Fernandes (Octávio). Esta comédia tem encenação de Pedro Gouveia, a adaptação de Nuno Morna e produção de Roberto Costa.
Esta comédia fala sobre as vicissitudes normais de um casal, visto de uma forma cómica. “Um espectáculo, que prima pela elegância e pela direcção impecável das suas personagens, pela trilha sonora e pela coragem de mostrar como realmente são as pessoas entre quatro paredes”.

CONCERTO EM AGUA DE PENA


Concerto dia 15 de Outubro, no Parque desportivo de Água de Pena, às 22h30, depois com discoteca e mais surpresas. Bilhetes brevemente à venda. Preço dos bilhetes 7,5 euros até 30 de Setembro depois 10 euros.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

ESPETÁCULO DE SOLIDARIEDADE


No dia 10 de Setembro de 2011, às 19 horas, no Centro Cívico de Porto da Cruz, será representada a peça de teatro“A Voz do Coração”,  pelo Grupo "Memórias". Ao grupo, criado por cuidadores familiares de pessoas com Doença de Alzheimer, junta-se em participação especial a Juventude Mariana Vicentina de Campanário.

A iniciativa pretende angariar fundos para a Delegação da Madeira, da Associação Alzheimer Portugal, por isso cada bilhete terá um preço pela módica quantia de 2 euros e podem ser adquiridos na sede da Delegação da Madeira, da Associação Alzheimer Portugal ou no próprio dia e local do evento.
Contamos consigo!
Fonte: C.M.Machico

XXVI ENCONTRO DE TUNAS E ORQUESTRAS DE BANDOLINS DA MADEIRA














A Associação de Bandolins da Madeira informa que hoje assumiu a responsabilidade de organizar o XXVI Encontro-Festival Regional de Tunas e Orquestras de Bandolins da Madeira, a ter início às 15 (quinze) horas e a realizar-se em um único dia, a (onze) 11 de Setembro 2011, no Auditório do FÓRUM MACHICO.
Fonte: C.M. Machico

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Biblioteca - mostra sobre o Ano Internacional das Florestas. Aprecie e aprenda!

Por decisão das Nações Unidas, 2011 é o "Ano Internacional das Florestas". A escolha teve por justificação a sua importância para um desenvolvimento global sustentável, a erradicação da pobreza e outros objetivos internacionalmente acordados. Entre nós, além das florestas serem tão necessárias na conservação da Biodiversidade, por exemplo, há a salientar a beleza, a riqueza e a importância da Floresta Laurissilva Madeirense, classificada pela UNESCO como "Património da Humanidade" em 1999.


Aprecie os livros aqui expostos (que podem ser emprestados) e explore os sites recomendados, em especial o das Nações Unidas, para onde pode enviar a história do seu contributo - "florests for people" 2011. Para conhecimento e exemplo a seguir. Participe!

Por último, convidamos a participar e a acompanhar-nos na nossa página no facebook!
Noticia da Câmara Municipal de Machico

MUSEU DA BALEIA INAUGURADO NO CANIÇAL



O Presidente do Governo Regional inaugurou, no passado dia 02 de Setembro de 2011, o novo Museu da Baleia, na freguesia do Caniçal, concelho de Machico.


A experiência marítima da freguesia do Caniçal, especialmente o papel que a comunidade desempenhou durante muitos anos nas campanhas da pesca da baleia, encontra-se ainda bem presente na memória colectiva da população. E foi este forte elo de ligação ao Mar, que constitui uma herança cultural e um traço marcante da identidade daquela freguesia, que o Governo Regional - através da edificação de um novo espaço -, quis preservar e reforçar, conferindo àquele património uma grandeza e vitalidade.

Concebido como um espaço permanente para a representação da pesca da baleia, os cerca de 6.000 m2 de área, junto ao passeio marítimo, foram distribuídos por diversos espaços, nomeadamente uma biblioteca, loja de artesanato, cafetaria, sala de educação ambiental, gabinetes científicos e laboratórios, um auditório, sala de exposições temporárias e loja do museu.

Na área reservada às exposições permanentes e temáticas, encontra-se a Sala dos Cetáceos, a Sala de Projecção e a Sala da Caça à Baleia.

A Sala dos Cetáceos é um espaço concebido para a exposição de um conjunto de modelos em fibra de vidro de diferentes espécies de cetáceos, parte importante da fauna marinha do arquipélago da Madeira, um modelo de exibição, uma embarcação e vários quiosques electrónicos.

No planeamento da exposição foram considerados vários modelos de cetáceos, que ficarão suspensos, a diferentes alturas, por tirante a partir do tecto da sala.

Para além de apresentarem um aspecto final o mais próximo possível da realidade e os mais rigoroso do ponto de vista anatómico, cada modelo das diferentes espécies reflectirá a idade e sexo do animasl e apresentará uma ficha descritiva acompanhada de desenhos e ilustrações científicas.

No que se refere ao modelo de exibição, este deverá constituir um cenário onde funcionará um auditório para a projecção de um vídeo 3D estereoscópico.

A embarcação, por seu lado, será um cenário onde os visitantes poderão recriar algumas actividades de investigação científica de cetáceos efectuados a bordo de pequenas embarcações, designadamente, foto-identificação, censos náuticos, telemetria, etc.

Único na Europa, o projecto da responsabilidade da Secretaria Regional do Equipamento Social, através da Direcção Regional de Edifícios Públios foi desenvolvido com o objectivo de responder ao elevado número de visitantes que procuram o actual museu naquela vila.

Workshop de Aguarela com Eugen Chisnicean

A Câmara promove, com a coordenação da Professora Ângela Franco, entre os dias 3 e 8 de Outubro, um Workshop de Aguarela, orientado pelo artista moldavo Eugen Chisnicean, que se realizará no Atelier de Artes Plásticas da Câmara Municipal de Machico, junto ao Forte de Nossa Senhora do Amparo.


As inscrições, para esta actividade, estão abertas a todas as pessoas interessadas, a partir dos 15 anos, sejam elas principiantes, amadores, estudantes ou profissionais. As inscrições, no valor de 60 € (4 sessões de 3 horas = 12 horas), deverão ser feitas, até o dia 23 de Setembro, na Câmara Municipal de Machico – Gabinete da Cultura (no Forte de Nossa Senhora do Amparo), sendo o pagamento feito no momento da inscrição. O cancelamento do Workshop implicará a devolução total do montante pago.

Os participantes deste workshop terão a oportunidade de aprender a escolher o tema, a construir as suas próprias composições, a simplificar e a captar o essencial dos elementos que os envolvem e criar ambientes e atmosferas.

A Câmara Municipal de Machico através do Gabinete da Cultura organizará uma exposição com os trabalhos realizados pelos participantes do Workshop.

Para mais informações contacte o Gabinete da Cultura – Câmara Municipal de Machico, Forte de Nossa Senhora do Amparo (Frente ao Mercado Velho) Segunda à Sexta: 9h00-12h30 / 14h00-17h30

Contacto: 291 965 339



O Artista

Eugen Chisnicean nasceu em 1984 numa pequena cidade no norte da República da Moldávia. Mostrou um interesse precoce pela arte, influenciado pelo seu pai que, naquela época, estava ligado à pintura e à fotografia. Com a idade de 11 anos entrou para a Escola Infantil de Belas Artes. Foi um estudante de sucesso e participou em numerosas competições nacionais e internacionais. Em 2000 mudou-se para Chisinau, capital da República da Moldávia, e entrou para o Instituto de Artes, onde estudou Arquitectura e Design de Interiores. A partir de 2007 começou a estudar e a desenvolver a sua criatividade na pintura a aguarela, investindo e comprometendo-se seriamente com esta técnica. Actualmente, dedica-se à pintura de paisagens bucólicas e citadinas, e esforça-se constantemente para aperfeiçoar a sua técnica, no sentido de obter melhores resultados. Em 2010 foi convidado de honra no 4ª Salon de l'Aquarelle du Haillan, em França. Também participou no Simpósio de Aguarela, nas Caldas da Rainha, em Portugal e em Skopje, na Macedónia.

Apesar de relativamente jovem, Eugen Chisnicean já conta no seu currículo com alguns prémios internacionais: Melhor Trabalho da “Fine Art Views Painting Competition” – Março de 2011; 1ª lugar na “Watermedia Showcase”, Watercolor Artist, 2010; Melhor Trabalho da “Fine Art Views Painting Competition” – Março de 2010; 3º lugar na “Southwest Art magazine Competition”, 2010; 2º lugar no “The First Annual Autumn Arts Painting Challenge on FacebooK”, 2010.