segunda-feira, 26 de setembro de 2011

NOVO JARDIM E VIVEIRO NA MATUR

Machico tem, agora, mais uma área ajardinada e de lazer no concelho. O novo espaço conta ainda com uma área dedicada a viveiros de plantas de baixa altitude e fica situado na zona da Matur, na freguesia de Água de Pena.

Este novo espaço, que representa um investimento de 675 mil euros, com verbas do Governo Regional e da União Europeia, através do PRODERAM, vem reforçar as áreas ajardinadas do concelho e, ao mesmo tempo, alargar também as zonas de lazer para usufruto da população.

Obra da Secretaria do Ambiente
 
Além da população local, é expectável que muitos madeirenses e turistas possam também vir a procurar este espaço. Dado que foi construído neste jardim um miradouro, a partir do qual é possível ter uma vista interessante sobre o Aeroporto Internacional da Madeira o que, com toda a certeza, irá atrair as pessoas de uma forma em geral, mas, sobretudo, aquelas que apreciam os aviões e toda a actividade aeronáutica, como é o caso, por exemplo, dos “spotters”, que poderão encontrar, ali, uma perspectiva diferente sobre a pista e registar essas manobras em fotografias e vídeos.
 
14.600 metros quadrados de área utilizada
 
De referir que esta intervenção foi levada a cabo pela Secretaria Regional do Ambiente e dos Recursos Naturais, através da Direcção Regional de Florestas e abrangeu uma área na ordem dos 14.600 metros quadrados, sendo sete mil metros quadrados de viveiros e cerca de 7.600 metros quadrados de jardins.

Para o secretário regional do Ambiente e dos Recursos Naturais, esta intervenção é extremamente positiva a vários níveis. Desde logo pelo facto de, com esta intervenção, proceder-se à recuperação urbanística daquela área, que antes estava abandonada e que passa a estar melhor organizada. Depois, acrescentou ainda Manuel António Correia, com este jardim é «criada uma zona de lazer aberta a toda a população, e não apenas à de Machico, tendo também como um dos grandes atractivos a proximidade ao Aeroporto e ao mar».

Mas, referiu ainda o secretário regional do Ambiente e dos Recursos Naturais, «este será também um equipamento muito importante ao nível do reforço da estrutura verde da Região, nomeadamente, o ajardinamento de espaços públicos e privados com plantas de baixa altitude que ali serão produzidas e depois cedidas a “preços sociais”, quer às Câmaras, quer às juntas de freguesia, quer à população em geral».

Manuel António considera iniciativa muito positiva
 
De uma forma geral, Manuel António Correia considera que esta «é uma iniciativa muito positiva e que vai melhorar, não só o património natural da Região, mas também a qualidade de vida da população».

É também de realçar que esta infra-estrutura, além de permitir criar um espaço para usufruto das populações e outro para a reprodução de plantas diversas, vem também recuperar um espaço degradado e valorizar, ao mesmo tempo, o património natural da Região.

Trata-se de uma infra-estrutura fundamental para o reforço das áreas verdes e ajardinadas da Região, pois as plantas de baixa altitude nele reproduzidas serão disseminadas por espaços públicos de toda a Região que será, assim, paisagisticamente melhorada.

O espaço vem colmatar uma lacuna existente, até ao momento, em que os viveiros regionais localizados em zonas de altitude possuíam uma produção orientada para as espécies próprias dessas zonas.

Novos viveiros permitirão maior produção

Com os novos viveiros, dada a sua localização e condições climáticas específicas, será possível a produção de plantas ornamentais de cotas mais baixas, bem como de algumas espécies da flora madeirense como por exemplo o Barbusano e a Oliveira Brava.

A nova infra-estrutura, no que aos viveiros diz respeito, é constituída por uma zona de produção efectiva e por uma área de vasário (plantas em vaso de maior porte) sendo para o efeito necessário proceder à construção de uma série de infra-estruturas imprescindíveis à adequado e efectiva produção em viveiro de plantas.
 
Miguel Angelo - Jornal da Madeira de 26 de Setembro de 2011

Sem comentários: