sábado, 7 de dezembro de 2013

BRISA


A brisa sopra na tarde quente! Faz-me cócegas no rosto, dá-me alento para subir veredas, penhascos negros. Nas verdes levadas, cantam águas escorrendo sofrimento, mas continuam o seu caminho, seu destino sem fim. Dos pinheiros caem pequeninas pinhas, recolho-as para a lapinha que está para chegar. A magia da festa, brilha nos olhos das crianças e o velho baloiço agarrado aos ferros da vinha, baloiça endiabrado sem fim. Sei que te abandonei quando cresci! Mas que culpa tenho eu de ter crescido? De ter perdido o brilho, o sorriso ao te olhar? 

http://youtu.be/06fCMfcMnqk
DREAM BABY DREAM - BRUCE SPRINGSTEEN


Sem comentários: